X

18Sep

Ministra da Cultura apela à união dos africanos

Cultura | | Return

A ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, defendeu, nesta quarta-feira, em Luanda, a necessidade da conjugação de esforços e de vontades para o desenvolvimento sustentável do continente africano.

A responsável angolana, que falava na cerimónia de abertura da Bienal de Luanda-Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz, disse que governantes, intelectuais, estudantes, investigadores, entre outros, devem reforçar a interactividade e as acções para a busca de mais e melhores caminhos para o alcance de uma paz douradora em África.

Recordou que a bienal tem como principal objectivo a partilha de experiências e de conhecimentos, o reforço da unidade africana e a promoção da diversidade cultural.

No seu entender " é imperioso o comprometimento de todos para a promoção da cultura de paz, visto que a cultura pode e deve ser um meio de promoção da paz".

A agenda do evento, que tem a duração de cinco (5) dias, reserva um festival de culturas, a decorrer no Museu de História Militar, os fóruns da mulher, da juventude, de ideias e de parceiros, que vão concentrar os participantes no "Memorial Dr António Agostinho Neto".

Trata-se de plataformas de reflexão sobre o futuro de África, com abordagens focadas na educação, ciência, cultura ao serviço da cultura de paz em África, prevenção de conflitos e o papel da mídia na promoção da paz.

O evento, uma organização tripartida (Angola, União Africana e UNESCO), visa a promoção da harmonia e irmandade entre os povos através de actividades e manifestações culturais e cívicas, com a integração das elites africanas.

Nobel da Paz defende preservação da identidade africana

O prémio Nobel da Paz 2018, Denis Mukwege, defendeu, nesta quarta-feira, em Luanda, a preservação da verdadeira identidade africana para uma efectiva promoção da cultura de paz a nível do continente.

Durante a sua intervenção, que antecedeu a abertura do Fórum Pan-Africano para Cultura de Paz, o médico cirurgião congolês Dinis Mukwege fez referência sobre vários pontos que considera estarem ainda muito longe de ser alcançados no ponto de vista político, social, direitos humanos e cultural.

Para o médico, o alcance dos desideratos da agenda 2063 sobre o desenvolvimento de África assinado em 2013 só será alcançado caso se desenvolva a identidade africana autêntica, o respeito dos direitos humanos e a diversidade cultural, o espírito da solidariedade e de não-violência.

Disse ainda que o continente não consegue ocupar um lugar em pleno século XIX, uma vez que se assiste a terceira colonização, o desenrolar de vários conflitos internos, a migração, o aumento do desemprego e o abuso dos direitos humanos.

Porém, Denis Mukwege refere que África tem meios humanos e materiais para o desenvolvimento continental em vários sectores, cabendo apenas o compromisso da boa governação democrática, onde a gestão económica dos recursos naturais possam satisfazer a necessidade dos povos.

Para o deputado a Assembleia Nacional Boaventura Cardoso, a diversidade é uma forma de enriquecer as culturas, onde os países devem estar aberto a globalização, mas com os pés bem assentes nas raízes africanas.

O também nacionalista defende que a cultura de paz deve ser transmitida a juventude por via da educação e nas diversas manifestações culturais e artísticas, facto que considera positivo a realização da Bienal de Luanda.

“Angola é um exemplo particular da forma como preserva a paz, bem como conseguiu alcançar depois de muitos anos de conflito”, referiu.

Para o artista plástico Paulo Kussy, a Bienal de Luanda servirá para mostrar para África e o mundo os bons exemplos que Angola tem na preservação da paz, bem como aprender novas experiências que possam ajudar para a consolidação deste bem precioso.

O evento tripartido (Angola, União Africana e UNESCO), trata-se de uma plataformas de reflexão sobre o futuro de África, com abordagens focadas na educação, ciência, cultura ao serviço da cultura de paz em África, prevenção de conflitos e o papel da mídia na promoção da paz.  

Attachments

Related

 
Hinweise Konsulat

Dass wir von nun an bei konsularischen Angelegenheiten das Thermometer zur Temperaturmessung verwenden werden. Es sei darauf hingewiesen, dass die Maßnahme die obligatorische Verwendung der Maske, Desinfektionsmittel (Alkohol-Gel) sowie den Abstand von mindestens eineinhalb Metern im Kontakt zwischen den Personen nicht aufhebt.

Mit der Hoffnung auf bessere Tage verabschieden wir uns herzlich.

Berlin, 22. Juni 2020
Beschwerden und Konsultationen des Konsularsektors +491602019523

Nachrichten

DAS ANGOLANISCHE PARLAMENT

Öffnen
 

DIE NATIONALBANK VON ANGOLA

Öffnen
 

NUTZLICHE LINKS

Öffnen
 

Kontakts

Zeitpläne

Öffnungszeiten der BOTSCHAFT

Montag bis Freitag
09h00 - 13h00 / 14h30 - 16h30

KONSULARISCHE DIENSTE
Antragsannahme

Montag, Dienstag, Donnerstag und Freitag
9h30 – 12h30

Abgabe von Dokumenten

Montag, Dienstag, Donnerstag und Freitag
14h00 – 15h30