X

Notícias

29jul

BNA consolida política cambial de combate a "esquemas"

Economia | | Return

O Banco Nacional de Angola (BNA) está a consolidar o processo da política cambial em Angola, primando por uma melhor organização, eficiência e combate dos "esquemas" nos procedimentos operacionais, afirmou terça-feira o seu governador, José de Lima Massano.

Entrevistado no espaço “Grande Entrevista” da Televisão Pública de Angola (TPA), Lima Massano sublinhou que a substituição do câmbio fixo para o flutuante foi, até ao momento, a melhor medida adoptada, apontado como resultados o saldo positivo da balança de pagamentos e das contas correntes de bens e serviços.

Fruto das opções feitas, no âmbito das políticas monetárias e cambiais em curso, o país deixou de registar situações de operações de atrasados que em Janeiro de 2018 chegaram aos cinco mil milhões de dólares.

O câmbio flutuante, de acordo com Lima Massano trouxe também outras oportunidades para o país, sobretudo na aposta na produção interna que tem vindo a aumentar, com reflexos da redução em 23 por cento os níveis de importação de alimentos, apenas neste primeiro semestre.

Referiu que as instruções dadas aos bancos comerciais, para a execução de operações cambiais até cinco dias úteis, constam das acções que estão a dar resultados no mercado cambial.

Entre as metas, o regulador do sistema bancário quer chegar ao ponto de ter apenas a função de monitorização, fiscalização e supervisionar o mercado.

Actualmente, para o governador, não há necessidades dos cidadãos adquirirem moeda estrangeira no mercado paralelo, uma vez que os bancos comerciais estão disponíveis para o efeito.

" As reclamações junto do BNA em termos de operações cambiais têm baixado muito nos últimos tempos ", disse o governador, sustentando ser funcional o sistema de aquisição, apelando à apresentação de evidências de certos erros para serem corrigidos.

Uma das maiores preocupações do BNA está ligada à existência de cidadãos, que por falta de informação, se sentem sem alternativas para a aquisição da moeda estrangeira optam pelo mercado paralelo, onde correm vários riscos, como a compra de notas falsas.

Considerou ser agora muito reduzido o volume de moeda estrangeira transaccionado no mercado paralelo, sobretudo nesta fase da Covid-19.

"Fizemos um trabalho de campo recente sobre o mercado e desse trabalho constatou-se que há operações que vão acontecendo, que são ilícitas, mas muito pequenas que ocorrem na rua", avançou.

O ponto de entrada e notas estrangeira para o mercado informal está fechado, um trabalho que foi facilitado com o surgimento da Covid-19, que ajudou a detectar e reverter de forma, temporária, um problema que o BNA quer que seja definitivo.

Segundo o gestor, as divisas obtidas com a reexportação e venda de mercadorias de Angola para outro lado da fronteira é que alimenta o mercado paralelo, uma vez que os valores resultantes do negócio não entravam para o sistema financeiro.  

 

Attachments

Related

 
Avisos Consulado

Pela presente, o Sector Consular da Embaixada de Angola na República Federal da Alemanha, informa que, doravante, no acto de tratamento de questões de natureza consular, procederemos ao uso do termómetro de medição da temperatura. Importa referir, que a medida em referência, não retira o uso obrigatório da máscara,  desinfectantes (Álcool-Gel), bem como o distanciamento de pelo menos de um (1) metro e meio no contacto com as pessoas .

Augurando por dias melhores, cordialmente nos despedimos.

Berlim, aos 22 de Junho de 2020.-  

Reclamções e consultas do Sector Consular  ligar para +491602019523

PARLAMENTO DE ANGOLA

Visitar
 

BANCO NACIONAL DE ANGOLA

Visitar
 

LINKS ÚTEIS

Visitar