Erdkunde 

Fakten

Superfície 1 246 700 Km2
População 32 097 671
Línguas Nacionais Português, Ubundu, Kikongo, Kimbundo, Tchokwe, Mbunda, Kwanyama, Nhanecalbinda, Nganguela, …
Densidade Populacional 27,75 Hab/Km2
Moeda Oficial Kwanza
Capital Luanda
Ponto Mais Alto Monte do Moco 2620m (Huambo)
Latitude Norte:  04º22′ / Sul: 18º02′
Longitude Este:  24º05′ / Oeste: 11º41′
Extensão da Costa Atlântica 1650 Km
Fronteiras Terrestres 4837 Km
Países Limítrofes a Norte República do Congo e República Democrática do Congo
Países Limítrofes a Leste República Democrática do Congo e  República da Zâmbia
Países Limítrofes a Sul República da Namíbia
Países Limítrofes a Oeste Oceano Atlântico
Topologia Aproximadamente 65% do território está situado numa altitude entre 1000 e 1600 metros

Clima

O Clima em Angola tem duas estações: a das chuvas, periodo mais quente que ocorre entre os meses de Setembro a Maio, e a do Cacimbo. A do Cacimbo ou Seca é menos quente e vai de Maio a Setembro. O pais possui uma situação geográfica peculiar, por estar na zona intertropical e subtropical do hemisfério Sul, ser próximo ao mar, e pelas especificidades do seu relevo, divide-se em duas regiões climáticas distintas:

A Região Litoral, com humidade relativa média anual de 30% e temperatura média superior aos 23°C.

A Região do Interior, subdividida em Zona Norte, com elevadas quedas pluviométricas e temperaturas altas, zona de Altitude que abrange as regiões planálticas centrais com uma estação Seca de temperaturas baixas; e a Zona Sudoeste, semi-árida em consequência da proximidade do deserto do Namibe, extensão do deserto do Kalahari, sujeita a grandes massas de ar tropical continental.

As Temperaturas Médias do país são 27°C maxima e 17°C minima. A esta diversidade climática corresponde um potencial turístico representado por um patrimonio natural riquíssimo em flora e fauna diversificada, possibilitando a prática de todo tipo de actividades de lazer, hobbies e aventuras. 

Flora

Angola apresenta cinco tipos de zonas naturais, a floresta húmida e densa como a de Maliombe que contém as mais rarissimas madeiras do mundo, as Savanas, normalmente associadas as matas como & o caso das Lundas, as Savanas secas com árvores ou arbustos, em Luanda, baixa de Kassanje e certas áreas das Lundas.

Existem ainda zonas de Estepe ao longo de uma faixa que tem o inicio a sul do Sumbe e, por fim, a desértica que ocupa uma estreita faixa costeira no extremo sul do pais, onde podemos encontrar no deserto do Namibe uma espécie única e endémica no mundo que tanto caracteriza este país: a “Welwitchia Mirabilis”.

Fauna

Em Angola conhecem-se inúmeras espécies espalhadas por várias regiões. Na floresta do Maiombe habitam Gorilas, Chimpanzés e Papagaios, nas zonas naturais mais húmidas do norte, centro, centro e leste, podemos observar o Golungo, a Palanca Negra-Gigante, uma espécie endémica no mundo e em vias de extinção, a Seixa, e os Elefantes nas regiões mais secas aparecem a Cabra de Leque o Guelengue do deserto ou Orix o Gnu, a Impala, a Chita, o Bufalo, também o Eletanto, a Zebra e a Girafa. Animais mais ou menos comuns a todo o territorio são a Hiena a Palanca Vermelha, Leão, o Leopardo e o Hipopotamo.

Na fauna maritima existe ante uma enorme variedade de peixes e de mariscos que se encontram também nos rios e que, a par deses, podemos ver também crocodilos e Jacarés.

Recursos Minerais

Angola é um país potencialmente rico em recursos minerais. Estima-se que o seu subsolo albergue 35 dos 45 mais importantes do comércio mundial entre os quais se destacam o petróleo, gás natural, diamantes, fosfatos, substâncias betuminosas, ferro, cobre, magnésio, ouro, rochas ornamentais, etc.

Hidrografia

Os Principais Rios

O principal rio de Angola é o Kwanza, que dá o nome à moeda nacional, com 1000 km de longitude, mas apenas 240 km são navegáveis. De seguida, o Kubango com 975 km, depois o Cunene com 800 Km e por fim, na lista dos quatro principais do país, o Zaire com 150 km de longitude, sendo este último, todo ele navegável.

Os rios angolanos oferecem oportunidades para a implementação de negócios de interesse turistico ou mistos do tipo comércio-turismo ou ainda a prática do ecoturismo.

Vertentes Hidrográficas

As caracteristicas hidrográficas de Angola têm uma relação estreita com o relevo do pais, correndo os rios a partir das zonas planalticas e de montanha marginal.

Existem quatro vertentes de escoamento das águas:

VERTENTE ATLANTICA – rios Chiloango, Zaire ou Congo, Bengo, Kwanza, Queve ou Cuvo, Catumbela, Cunene, entre outros;

VERTENTE DO ZAIRE – grande parte dos rios do Norte de Angola, como o Cuango, Cassai, com os seus afluentes Collo, Cambo, Lui, Tchicapa, Luachimo;

VERTENTE DO ZAMBEZE – aí correm os rios de Leste e afluentes do Zambeze, como o Luena, Lungue-Bungo e o Cuando, que desagua por intermédio do rio Chobe no Zambeze;

VERTENTE DO KALAHARI – caracteriza-se por ter muitos rios de regime intermitente, destacando-se o rio Cubango, que se perde na zona pantanosa de Okavango (Botswana) e tem como afluentes principais o Cuchi e o Cuito.

O maior e o mais navegável rio de Angola é o Kwanza, com 1.000 km de extensão, em cujo afluente, Lucala, se encontram as célebres Quedas de Calandula, de impressionante beleza e com mais de 100 m de altura. Para além destas, existem diversas quedas e rápidos noutros rios, como as do Mbridge, Cambambe, Kwanza e Ruacana.

As principais bacias hidrográficas são as dos rios Zaire, Mbridge, Kwanza (a maior), Queve ou Cuvo, Cunene, Cuando e Baia Farta. O principal lago é o Dilolo e as lagoas do Panguila e da Muxima.